segunda-feira, 22 de abril de 2013

Da Série nem SuperSincera escapa: ACONTECEU COMIGO!


Então que você encontra o amor da sua vida...
Ok, iludida, pelo menos você achou que tinha encontrado, até ficar sabendo que, além de você, ele tinha mais 4 zilhões de outras "amadas"! Tudo isso na sua cara, e nas redes sociais também! (Rháááá)
Daí que você dá escândalo, faz mimimi, chora, se descabela e pow, termina.
E ele lá... lanchando quem vier na frente (Inclusive você, anta!)... E toda a face terrestre sabendo das 'aventuras' do seu amado... (/verg)
Então que você chora, bebe, sofre que nem uma condenada (ouvindo Pablo e Silvanno Salles) e, não mais que de repente, quando tu estás a um passo de esquecê-lo, o demônio reaparece três vezes mais lindo, mais sedutor, mais malicioso... etc... etc...

É... Este enredo é mais que conhecido entre MUITAS mulheres de toda a face da terra, mas desta vez o caso foi muito mais perto... ACONTECEU COMIGO!

Eis que sempre fui a 'desapegada'... Aquela que 'não-tá-nem-aí' pra quem descobriu o Brasil! Mas como todo castigo pra SuperSincera é pouco, caí na lábia de um dementador sedutor!
Éééééé meu povo, os caras tão antenados com as últimas tecnologias, capazes de fazer sofrer até os mais duros corações, diga-se, o meu!
E não diferente de muitas, eu acreditei na bondade do coraçãozinho, e na carinha de cachorrinho sem dono que diz: me cria, me leva pra tua vida!
Mas hoje estou aqui pra contar a história e dizer: SOBREVIVI!

E aprendi, mais uma vez, a lição!
As vezes a gente se doa, de corpo e alma, pra um semi-amor.
Um semi-amor é igual a uma semi-jóia, tem o mesmo brilho, a mesma aparência... Só não tem o mesmo valor!
Isso nos causa um desgaste psico-afetivo duzinferno. Pensamos que não vamos sair dessa... Mas olha, a gente sai! E muitas vezes saímos mais fortes, ainda que não seja aparente.
Quando um semi-amor se vai, ficam as dores, o rancor, a raiva... e isto, definitivamente, não é amor! Um semi-amor nos causa desconfiança, medo... E um apego fêladaputa que parece que o mundo vai acabar se aquele ser nos deixar...
Mas, ó gata... Acaba não!
Nada acaba, só a nossa paciência, porque uma hora a gente enche a boca e manda se fuder, assim, com todas as letrinhas soletradinhas e tal.
E, a partir daí, você entende que aquilo não é de Deus. E manda pras "prifundas duzinfernos" que é o lugar de macho safado e tirado a sabichão.
Daí você pensa: "Ai meudeusdocéu eu vou ficar sozinha de noovo, mimimi... E se ele ligar? O que eu faço?"
Bom, gata, aí eu já não sei te dizer, porque sou tão cachorra quanto, e todas as vezes que o dementador me ligou eu atendi, todas as vezes que ele me encontrou eu me perdi todinha da silva... Ainda estou em processo de desenvolvimento de um software que realmente bloqueie todas as entradas do meu ser, porque olha, não tá fácil pra ninguém!
Mas a gente vai tentando... Vai dizendo um "não" aqui... Um "depooois" alí... E assim vamos nos saindo das situações!
Estou escrevendo isto, não pra dizer que eu saí dessa, mas que eu tô viva e que TAAAAMOOOO JUNTOOOO!!!
Um dia a gente encontra aquele ser especial, que valorize o que de melhor temos a dar: AMOR!
E um bom sexo, né? Porque ninguém é de ferro! (Hahaaaaaaaaaaaaay)

Beijos Apimentados!

Um comentário:

Guilherme Ramos disse...

Hahaaaaaay!!! Esse seu bordão é MASSA! E o texto é ÓTIMO! Abraço!