sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Nem SuperSincera escapa²

Não é mais nenhuma novidade que eu tenho muita sorte azar no amor... Só me aparecem dementadores casados, viúvos, separados, separando, ou aqueles cachorros perebentos que ninguém mais quer...
Quando aparece um ser quase normal. Ele desaparece do mesmo jeito que apareceu: do nada!
Pois, estava eu toda serelepe pimpona afogando as mágoas de um quase amor que nem começou e já acabou (leia-se: nunca existiu...) num barzinho famosérrimo aki, toda feliz tristinha... dançando pagode chorando... e... derrepente, não mais que derrepente, aparece ele...
Alto, forte, gostoso , oops digo, musculoso... Com todo aquele charme que só um dementador tem... e pra quem ele olha? Ganha um confeito de iogurte quem acertar...
PRA MIM, ÓBVIO!
Bom, continuei sentadinha tomando minha caipiroska, feliz da vida, digo, toda triste e eis que o ser me chama... Bom, lá fui eu falar com ele, já que o ser é da família e tals...

Quando me aproximo ele dispara: Me dá um beijo?

PAUSA

CARALHO VELHO TU É CASADO E MORA NA MINHA RUA SE TOCA MALANDRO!

DESPAUSA

Eu, toda educada disse: CLARO QUE NÃO NÉ?
Ele: Só um, deixa de ser ruim priminha (infaaaaameeeeee)
Eu: Bom, vou me sentar! (sorrisinho maligno no canto da boca)
Ele: Quando eu for embora vc me dá? (oO comoassim?) um beijo? (aahh taaahh!! Ufa!)
Eu: NÂO! (e me saí antes que ele me atacasse em público!)

Sentei-me linda e morena (é, eu pintei os cabelos! \o/) e continuei lá dançando meu pagodinho feliz da vida (a essa altura já tinha esquecido o macho que não vingou! É, eu sou rápida! \o/) e tomando minha caipiroska que tava rendendo como a peste... quando, de repente mais uma vez, um ser toca meu ombro e me abraça por trás... (Logo por trás mermão? Credoooo!) eu G-E-L-E-I.

PAUSA

Sabe o que é aquele bar badalado de cidade pequena? Onde todo mundo ta lá. Todo mundo ta te vendo. Todo mundo te conhece ou conhece as suas amigas, ou mesmo aquele dementador infame e a esposa dele? Pois era onde eu estava.

DESPAUSA

Tirei educadamente os braços dele que estavam envoltos no meu pescoço quase me sufocando com um singelo: SAI DAKI VÉÉÉÉÉÉIIIII. (Milarga, misolta, mideixaaaaa...)
Ele riu e disse sem discrição nenhuma: vamos ali conversar? (caralho, minha amiga é vizinha dele e da esposa... o caba é loko véi!)
Eu disse lindamente: claro que não néam?
Daí ele, ta certo, mais tarde eu te ligo... (insistenteee duzinfernooo)
E eu como sou educada: Se ligar eu não atendo... rummm

Ele saiu rindo (no mínimo da minha cara), minhas amigas ficaram rindo (da cara dele) e eu fiz cara de paisagem chupando delicadamente o canudinho da minha caipiroska que tava de roska e não se acabava mais nunca....

15 min depois chega a seguinte mensagem em letras garrafais:

PRIMA MINHA FILHA, (filha da peste, não sua...) EU DOIDO PRA TE DAR UM XERO DAQUELES (vaaai beijar um siriii) E VC SÓ ME TIRANDO DE TEMPO, FAZ ISSO NÃO KKKKKKK. BEIJOS. ASS. DEMENTADOR, TODO SEU. (meu e da torcida do flamengo!)

Tuuuuuuuuuuuuuu axaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa?

Porque será que dementadores são tão insistentes?
Porque será que os "homens direitos" (se é que existem) desistem tão fácil?
Porque será que eu tenho esse pé pooooodre?

Ai ai... dúvidas... dúvidas...

No mais, vamo que vamo! kkkk




/Cris Ribeiro

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Seu post me fez rir e olha que pra eu rir ultimamente tá difícil...

Eu tenho a mesma sorte tua, se bobear é pior... Só aparece pangaré na minha vida. Teve uma época lá pelos meus 18 anos que ra melhor um pouquinho, agora é só porqueira mesmo...


Beijocas