quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Quando bate o cansaço... e aquela saudade.

Eu ia fazer disso aqui um sessão desabafo, mas vou tentar ser irreverente antes que eu comece a ficar depressiva com tanta sessão desabafo aqui.


É simples, cansei.

Mas não é aquele cansaço "Ai são josé, como eu tô cansada". Não.
É uma exaustão mental, física, psicológica, sentimental, de tudo que você possa imaginar!
Sabe vó, quando diz que se você parar de bater o bolo, ele desanda?
Pois a minha vida desandou.. Deve ser porque ultimamente eu não bato, só apanho. (Deuszémais)
É incrível, eu tô pior que caixa de reclamação do Procon.

Hoje, durante a uma festividade escolar, onde nos tínhamos que enfeitar e organizar a sala, eu tive que lidar com um bando de alunos incompetentes e preguiçosos, um líder que não faz ideia do que seja delegar tarefas e um prazo de duas horas.

I.N.F.E.R.N.O

Resumindo, de costureira a pedreira, eu me vi em mil. Gente, tinha um cara lá que não sabia bater um prego na parede. PORRÃ, tu tem um pinto no meio das pernas pra quêê criaturaaaa?? Desceeeee dai florzinhaaaaaaaa!
E lá fui eu, colocar pregos na parede, usar alicate, grampeador de alta pressão, cola, o diabo a quatro.
Pulei janela, me enfiei no lado externo, cheio de mato, de formiga, de minhoca, de vidro, de coisa veia, de coisa verde que coça e lá fui eu concertar janela.
Marcos olha pra mim e diz: você é mais macho que todos os homens nessa sala.

É uma verdade, mas é uma merda.
Esse esteriótipo é uma merda.
É uma merda porque eu sou SuperSincera burralda e imprestável, carente pra caralho e que precisa de atenção.
Mas por essa minha "força" e esse meu jeito auto-suficiente as pessoas realmente acham que eu não preciso nunca de ajuda, e que eu não preciso de ninguem pra nada.

(Pausa)
Seres humanos, não é porque eu não grito quando vejo uma barata, não choro com titanic e não subo na mesa da cozinha na presença de um grilo ou de um rato morto, que eu preciso menos dos mimos e cuidados que sás loka varrida que se rasgam com restart e fiuk.
PRONTOFALEITÔLEVE.
(Despausa)

E é aí que entra a saudade... mas é saudade de tudo que eu ainda não vi.
PORRA, EU SEI SER DELICADA CARALHO.
tá, não foi uma boa maneira de dizer isso, mas ficadica.

E hoje eu vi que eu sinto falta.
Sinto falta de chegar em casa e ter alguém que me pergunte se eu dormi bem, que se preocupe comigo, e que pergunte como foi meu dia.
Alguém que chegue pra trocar o "se cuida" pelo "eu cuido de você".
E eu nem tô falando de um amor pra vida inteira.
Um amigo que me fizesse isso já seria meu sonho de consumo, mas né.

Eu tenho essa cara de forte, e esse maldito sorriso que aparece no meu rosto fazendo parecer que está tudo bem.
É que Eu não tenho vocação pra mártir, Não tenho vocação pra ser alvo de pena.
Mas é que hoje, ser durona e ser sozinha, tem um preço muito caro.
Espero que eu tenho dinheiro em caixa, senão fudeu.

Maldito desgaste, maldito cansaço, maldita esperança de que talvez amanhã fique tudo bem.


Sejam fortes, Façam valer.


3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

A sua questão é a minha questão!!!

Todas as mulheres independentes, que passam a mensagem que podem cuidar bem da sua vida, e da vida dos outros de quebra, sempre se ferram toda. As meigas e burrinhas é que são levadas no colo, enquanto a gente só recebe a célebre frase: - Mas você é forte, pode superar/fazer/resolver isso!!


Beijocas

Criis Ribeiro disse...

eu não tiro uma só palavra do que vc disse...

é foda!

chega deu uma dor... =/

É isso. É isso que dói latejando todo dia, sempre que eu acordo.

Não quero ser um machinho. Mais preciso ser... Porque o mundo em que eu vivo exige isso de mim...

Queria ser só a menina. A mulher.
Mais necessito de ser o macho da casa, da faculdade, do grupo de amigas, da casa di caray!

tá. parey. Vou alí chorar!

O Guri disse...

Olha só, posso dizer que sei o que é isso. Coisa ruim, né?

Claro que um dia passa, mas a gente tem que esperar esse dia chegar e daí encontrar alguém que te complete e daí a gente espera que tudo vá pro seu lugar e a vida vai melhorar...

mas até esse dia chegar, precisamos continuar vivendo.